O Mal Dos Governos Autoritários

Artigos, Política, Sociedade, Uncategorized

fascismo

Quando eu era criança, fui ensinado a gostar de política, dos políticos, do governo, do estado. Como a maioria dos cidadãos, cresci pensando que a política e o estado eram realmente necessários. Mas recentemente, eu soube do Libertarianismo, que me fez enxergar o mundo político/estatal com outros olhos.

No pensamento libertário, não existe esquerda ou direita; conservador ou progressista; Lula ou Bolsonaro. Nós libertários queremos somente uma coisa: o fim da interferência do estado no mercado e na economia. E claro, o fim dos impostos. Afinal, imposto é roubo. Se não concorda, me responda: por que somos presos quando não pagamos os impostos ao estado? Pois é… imposto é um roubo legítimo!

Na maioria das vezes, ter um governante para governar uma nação, seja ele na figura de um presidente da república, primeiro ministro, rei etc, pode muito bem levar ao chamado autoritarismo. Um governante autoritário é a típica pessoa que acha que sempre tem razão, não respeita a voz da população de seu país e toma medidas maléficas e impensadas, prejudicando a todos. Assim nasce o termo ditador.

Ao olhar para o passado, podemos reparar nos inúmeros erros cometidos por ditadores ou figuras autoritárias. Erros que ceifaram a vida de milhões de pessoas ao longo da história. Devemos olhar para trás e ver o tanto de sofrimento que é causado quando é dado muito poder a um ser autoritário e cruel. É triste constatar que é intrínseco a todo chefe de estado a busca por mais poder, por mais dinheiro, por mais glória. São seres ambiciosos e egoístas. Pessoas imundas, que ao invés de ajudarem, fazem o contrário, e acabam prejudicando a vida de centenas, de milhares, de milhões de seres humanos.

 

Anúncios

Por que existe tanta diferença na vida sexual das pessoas?

Artigos, Sociedade

how-to-stop-feeling-lonely-what-to-do-when-you-feel-lonely

Uma grande diferença

Ultimamente tenho notado um fenômeno que vem crescendo ao longo dos anos: o de homens que chegam a idades avançadas como 30, ou até mesmo, 40 anos, ainda virgens, ou seja, sem nunca terem tido uma relação sexual sequer. E muitos nem mesmo sequer beijaram na boca de alguém, sendo chamados de Boca Virgem. Quanto às mulheres, muitas delas até tiveram uma ou outra experiência sexual ao longo de suas vidas, mas até elas, principalmente as que não contam com uma aparência física privilegiada, passam por dificuldades para conseguir um namorado ou até mesmo, um ”ficante”.

Existem várias coisas clássicas no mundo, que serviram de motivação para continuarmos a viver ao longo da nossa existência. Coisas como: comida; atividade física para moldar o corpo; filmes e séries; livros; jogos de video-game; roupas e o mundo da moda; esportes como o futebol, e claro… o sexo. Namorar e beijar na boca e consequentemente, fazer sexo, é um dos maiores prazeres do qual um ser humano pode desfrutar. Alguns dizem até que o sexo é, de fato, o melhor e mais prazeroso ato que existe neste planeta. Sendo assim, por que algumas pessoas têm tanta dificuldade para consegui-lo? Vamos analisar este fato em duas etapas. Primeiro, olharemos para as pessoas que têm uma vida sexual praticamente nula, e depois, iremos analisar o comportamento dos seres humanos que possuem uma vida sexual bem agitada. Comecemos.

 

Falta de Sexo

A grande maioria das pessoas possuem desejos carnais, independentemente da orientação sexual. Então por que muitos têm uma vida sexual quase que inexistente? Vamos fazer uma análise fria, partindo desde o principio e imaginando um homem comum nos dias de hoje: o sujeito tímido ou pouco sociável. Na escola, que é quando ele passa a conviver com um grande número de pessoas, ele se fecha e faz poucos amigos, ou até mesmo, nenhum. Com as garotas então, nem se fala. As chances de ele emplacar uma amizade com o sexo oposto são quase que nulas. Ele sai do colégio e como acontece em grande parte das vezes, não entra em uma universidade. Pode ficar algum tempo até conseguir um emprego. Por ser tímido e um pouco reservado, o jovem fica isolado, e com exceção da própria família, não conversa com mais ninguém. E mesmo depois de algum tempo, quando consegue um emprego, não é garantia de que ele terá algum trunfo. Porque existem diversos empregos onde o ambiente é formado apenas por machos, ou por homens e algumas poucas mulheres, a maioria de pouco encanto. A pessoa, mesmo no trabalho pode muito bem conversar pouco, apenas o necessário, não garantindo assim uma simpatia suficiente em relação aos colegas e o deixando cada vez mais isolado. Nunca olvidarse de que quanto mais uma pessoa se isola, menos chances ela tem de conseguir qualquer tipo de relacionamento, seja uma amizade ou um namoro.

 

Sexo em Abundância

Mas se o ser humano é por natureza uma criatura excitada e com uma variedade imensa de desejos sexuais, desde os mais simples até aos mais sórdidos, qual seria o porquê da falta de sexo? Mas quem disse que todo mundo faz pouco sexo? Existe uma gama de pessoas que transam muito, bastante mesmo. Para analisar friamente esta situação, vamos imaginar a trajetória de uma mulher com aparência medíocre, mas com uma grande diferença: ela sendo comunicativa e sociável. Logo de cara, nos primeiros anos da escola, ela desenvolve muitas amizades. Na adolescência continua formando amigos, já que a mulher, na maioria das vezes, é um ser bem mais sociável do que os homens, e faz questão de ter amigos desde cedo ao seu redor. Elas contam também com a regrinha da sociedade de que é o garçon que tem que ”chegar” e demonstrar interesse, e isto facilita e muito a vida das femmes. Saindo da escola, ela já tem um círculo de amizades e de pequenos namorados. Ela consegue entrar na Faculdade e lá, cria amizades com diversas pessoas, e isto ainda, com direito à ida à festas e a eventos. Neste período ela fica com diversos homens, fazendo de vários seus amigos de sexo ou em outro termo bastante popular nos dias de hoje, amigos com benefícios – in the english way: friends with benefits. A pessoa com muita socialização e ainda convivendo em um ambiente com várias pessoas atraentes, transa até dizer chega. O SEXO É ABUNDANTE! Chega a um ponto, principalmente esta sendo uma mulher atraente, que a criatura só não transa com diversas pessoas, apenas e tão somente, se ela não quiser.

 

Conclusão

Existe uma série de fatores que pesam na vida de uma pessoa, podendo levá-la à ter uma vida sexual satisfatória, ou o contrário, uma vida sexual de pura penúria. Depois de mirar de forma consciente para com os dois extremos, chego a conclusão lógica de que a melhor forma de se viver é a com o estilo que eu chamo de vida com O CÍRCULO DE AMIZADES! Ou seja, uma existência tendo como base o cultivo continuo de amigos. Você sempre irá se socializar, sempre fará novos amigos, aproveitando cada oportunidade, seja no convívio com os vizinhos, seja na escola e mais tarde na faculdade, e claro, fazendo novas amizades no trabalho, seja ele qual for. E nunca é tarde para começar, se você foi uma pessoa extremamente tímida e fechada na juventude, você pode muito bem cambiar isso e começar a ter uma socialização melhor com as pessoas de sua cidade. Com o convívio e as conversas vêm os amigos e com as novas amizades, aparecem os flertes/namoros, e com os relacionamentos amorosos chega finalmente o tão esperado e desejado… SEXO. Se você for uma pessoa que se cuida, e souber conciliar trabalho, amizades, contatos – contatinhos!, conversas e contar também com uma pitadinha de sorte, namoros e sexo é o que não irá faltar em sua vida. Às vezes irá dar trabalho e parecerá um pouco cansativo, mas tudo que é prazeroso exige esforço, então nada de quedarse parado, vamos à luta e claro… bom sexo a todos!

 

 

 

 

 

 

Valorizando o Brasil

Artigos, Sociedade

bandeira-brasil-portugal.jpg

Em 2018, empolgado com o meu aprofundamento no estudo da gramática da língua portuguesa, eu decidi me tornar também um aspirante a poliglota, me concentrando no estudo de diversos idiomas populares como: o Inglês, o Espanhol, o Francês, o Italiano e até mesmo o Coreano e o Japonês, que são bem diferentes dos idiomas que utilizam o alfabeto latino. Desta maneira, comecei a assistir filmes e principalmente, a ler, seja em sites com artigos e notícias e também com livros no idioma em que eu estava estudando. Enquanto estava assistindo filmes, por exemplo, eu ficava pensando ”Por que o Brasil não é tão forte no universo cinematográfico, para eu poder investir nos filmes nacionais”. Muitas das vezes também ficava chateado, já que assistia filmes em Italiano e Francês, sem legendas, e não entendia praticamente nada, mesmo já bem avançado no estudo das duas línguas. Mesmo filmes e séries em inglês e espanhol, dois idiomas que eu estava mais avançado, me ofereciam vários obstáculos de compreensão. Na parte da leitura, quando fui ler livros literários em inglês e espanhol, também notei que meu nível ainda estava bem distante comparado a uma pessoa nativa. A cada página que eu lia, eu me frustrava ao descobrir várias palavras as quais eu não sabia o verdadeiro significado. Eu não sabia se continuava lendo, ou se ia procurar o significado da palavra em um dicionário.

Por isso, bem no finalzinho do ano, nos últimos dias, eu comecei uma reflexão sobre o quanto eu estava desprezando a nossa linda e maravilhosa língua portuguesa. Ao assistir apenas filmes produzidos fora do Brasil, por exemplo, eu me sentia distante da nossa terra, mesmo morando nela. Livros a mesma coisa. Senti falta de ler mais textos em meu idioma nativo, o português. Por isso decidi, que agora em 2019, investirei grande parte do meu tempo à cultura brasileira e também à portuguesa. E também irei valorizar muito Portugal, o nosso país irmão e formador da língua que todos nós falamos por aqui.

O que me deixou triste foi reparar o quanto o brasileiro não valoriza o Brasil na parte da cultura, preferindo sempre algo de fora. O mesmo com Portugal. O brasileiro, ao invés de aproveitar os recursos da internet e assistir a filmes e ler livros portugueses, prefere se empanturrar com os chatos e genéricos enlatados americanos de sempre. Por isso, quero que mais brasileiros pensem como eu, e que passem, de uma vez por todas, a valorizarem a cultura brasileira e a língua portuguesa. Abaixo eu mostro como eu pretendo, a partir de agora, investir o meu tempo na cultura em língua portuguesa.

 

Música

Em se tratando de música, eu, assim como a maioria dos brasileiros, sempre tive as canções cantadas em inglês, com artistas americanos e ingleses, como a referência maior. Uma novidade, foi que, no ano passado, os videoclipes de K-Pop, música popular sul-coreana, dominaram a minha vida. Então, a minha meta principal será a de ouvir às discografias dos artistas brasileiros que eu já acompanhava. E quanto aos videoclipes, pretendo assistir ao máximo de artistas nacionais que eu puder, focando mais na música atual, com ótimos vídeos sendo produzidos e usando o YouTube como plataforma divulgadora. Mesmo se as músicas não agradarem tanto, acho legal prestigiar a produção de videoclipes brasileiros, que com a audiência do YouTube, estão ficando cada vez mais bem produzidos. Afinal, não dependemos apenas da MTV ou de algum programinha qualquer de algum canal como antes. Ainda bem. Com o acesso à internet e com o YouTube, podemos assistir o clipe que quisermos em qualquer hora.

 

Livros

Quando me interessei por outra línguas, de cara me veio o prazer em ler em outros idiomas. E logo, quis ler livros em inglês e espanhol. Em inglês, percebi que já dominava o estilo coloquial, ou seja, os textos escritos com palavras de alta frequência. Mas ao ler romances mais adultos, pude perceber minha dificuldade com várias palavras mais complexas, as chamadas ”palavras de dicionário”. Já no espanhol, a experiência foi bastante agradável, por notar a semelhança entre o idioma e o português, até os apelidei de ”idiomas irmãos”. Mas eu também encontrava algumas dificuldades no espanhol. E ainda precisava aumentar muito o meu vocabulário e entender melhor a gramática da língua. Me arrisquei também a ler em italiano e francês. Mas fui cansando, porque eu deixava de sentir prazer pela leitura para procurar traduções de frases e palavras. Por isso a dica que dou para todos os brasileiros é: Leia mais a literatura escrita em português e se torne fera na gramática da nossa língua. Daí então, você se dedica com calma ao estudo de outros idiomas. Eu irei ler os clássicos da literatura brasileira e portuguesa, além é claro, de ler qualquer tipo de texto, seja em revistas, jornais ou sites de internet. Por que aí você se diverte, se informa e valoriza e treina ainda mais a língua escrita em português.

 

Filmes

Antes eu simplesmente desprezava o cinema nacional e nem me lembrava do cinema português. Ficava assistindo apenas a filmes de Hollywood e depois, quando evoluí um pouco, me esbaldava nas produções da Europa e da Ásia. Mas é estranho você ficar assistindo apenas filmes de lugares distantes, com culturas e pessoas bem diferentes. No inicio é divertido, mas depois vai se tornando algo cada vez mais esquisito e distante. O que me estressou também foi ficar assistindo muitos filmes legendados, ou sem legendas, mas não entendendo tudo, já que eu ainda estava em fase de aprendizagem de línguas como o inglês, o francês e o espanhol. Chegando ao final de 2018, senti uma saudade imensa de assistir filmes do Brasil. Afinal, ouvir e entender tudo, sem precisar de legendas, não tem preço. Ver as paisagens do Brasil, os bons atores, as belas mulheres, tudo com o jeitinho brasileiro de ser. Enfim, é impossível não se motivar a assistir aos filmes em língua portuguesa, seja os de Portugal e principalmente, os do nosso país. É claro que os filmes brasileiros e portugueses, não são tão grandiosos comparados aos de Hollywood, mas mesmo assim, é uma sensação única valorizar e assistir os filmes falados na língua portuguesa.

 

Sobre os Americanos

Uma coisa que eu aprendi com os americanos é a valorizar o seu próprio país. Mais especificamente, a cultura da nação. Os estadunidenses amam o seu país e assistem em sua maior parte do tempo, apenas a cultura produzida na própria nação. A maioria dos filmes assistidos por eles são produzidos no país, a mesma coisa com as séries. E sem dúvidas, a maioria dos livros lidos e das músicas escutadas são nacionais, ou seja, dos Estados Unidos. Então eu me pergunto, por que nós brasileiros não podemos fazer o mesmo? Os americanos também adoram assistir por exemplo, os filmes e as séries da Inglaterra, o país de origem do inglês, além de lerem os livros e ouvirem os grandes artistas da terra da rainha. E nós brasileiros podemos fazer o mesmo com os nossos irmãos de Portugal. Por que não assistir a filmes e séries portuguesas, ouvir as músicas e principalmente, aproveitar a riquíssima literatura portuguesa? Só temos a ganhar.

 

Esta revolução de pensamento começou a se engatilhar em minha mente há algum tempo atrás. Primeiro, eu queria parar a todo custo de consumir apenas a cultura norte-americana. Para isso, me refugiei na cultura asiática, europeia e latina. Mas depois de muito tempo, finalmente eu percebi o que estava faltando… procurar, investir e apreciar a cultura brasileira. O nosso povo, a nossa gente, a nossa história!

Não sei se minha opinião mudará, mas quero aproveitar cada instante deste meu novo vício… o de valorizar a cultura brasileira e a língua portuguesa.

 

 

O Futuro das Revistas no País

Artigos, Sociedade

revistas-abril

Todos sabem o que é uma revista para leitura. As publicações são divididas em assuntos variados como: notícias; política; esportes; universo feminino; cultura pop; ciência e história e tantos outros. As revistas, fossem semanais ou mensais, sempre foram populares. Mas com o advento da internet, tudo mudou. As pessoas podiam ler sobre qualquer assunto, qualquer artigo, na hora que quisessem, e o melhor, de graça.

Com a internet, eu pensei que as revistas poderiam até serem extintas. Mas não, as editoras continuaram publicando vários títulos com regularidade e qualidade. Mas recentemente, a editora Abril, a maior do país, responsável por títulos como Playboy Brasil, Veja, Exame, Superinteressante, Placar, Claudia e tantos outros sucesso editoriais, entrou em uma grande crise. Tanto é que fechou as portas para várias revistas famosas e demitiu um grande número de funcionários.

Eu fico triste com a situação, porque eu sempre gostei de revistas, do prazer de segurar uma publicação, cheirar as folhas, analisar a capa, ler os anúncios de produtos, estudar o índice para decidir o que ler em seguida. Eu sempre irei apoiar a continuação de publicações impressas pelo país e pelo mundo afora.

A pergunta que fica agora é: qual será o futuro das revistas no Brasil? Mesmo com o acesso à internet cada vez mais fácil, será que a população brasileira continuará se interessando pelas publicações? Eu espero que sim, mas a resposta, apenas o futuro nos dirá.

 

Eu Serei a Verdadeira Resistência

Artigos, Política, Sociedade

44256999_343146759803197_3203686221393123929_n

Com a vitória de Jair Bolsonaro para à presidência da república, uma grande parte da população brasileira passou a utilizar uma frase bem marcante ”Seremos a resistência!”.

Mas é aí que esta o problema. Resistir apenas ao governo Bolsonaro? E o outro candidato, Fernando Haddad? Ele então seria a solução para os problemas do Brasil? É totalmente imbecil se concentrar apenas em um candidato, achando que ele irá ser péssimo e se esquecer do outro, que provavelmente seria ainda pior. Estamos falando de Haddad, considerado o pior prefeito da história de São Paulo; um homem que se diz socialista, um sistema que nunca deu certo em lugar nenhum; faz parte do PT, o partido mais corrupto da história do mundo e para finalizar, sendo a cereja no top do bolo, obedece ao presidiário Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e investigado por formação de quadrilha. Que bonito hein?

Durante as eleições, tomei partido para o lado da direita, o lado ”conservador”. Mas depois de passar tanta raiva e consultar mais a história do mundo e da política, conheci uma filosofia, por assim dizer, chamada ANARCOCAPITALISMO. Que nada mais é que um estudo que mostra que a sociedade não precisa de um estado mandando em suas vidas e muito menos de políticos tomando as decisões para os cidadãos. Finalmente eu abri os olhos, parei com a bobagem de esquerda e direita e de simpatizar com políticos ou qualquer outra figura representante do estado. Percebi também que imposto é roubo e que a maioria das guerras desnecessárias foram iniciadas pelos malditos governantes. Ficou claro que fomos, desde a infância, doutrinados para pensar que o estado é algo legítimo, algo essencial para a vida de todos nós. O que não é verdade, basta refletir e estudar o assunto de forma mais aprofundada.

Então, o que lhes digo é que sim, eu serei a resistência, mas não contra o Bolsonaro, não contra o PT ou outro partido/governante, eu, a partir de agora, serei a resistência contra todo e qualquer tipo de governo; serei a resistência contra o estado; serei a resistência contra este bando de homens engravatados, que ganham dinheiro pago por nós, a força através dos impostos absurdos, e pensam que podem mandar em nossas vidas.

Não, mil vezes não. Está sim, é a verdadeira e legítima… RESISTÊNCIA!!!